Spam nacional?

Um texto sobre spam escrito pela Renata Rocha (original aqui):

Você recebeu um spam nacional. E agora, o que fazer? Ser mais chato que o spammer FDP, lógico. Então vamos a uma série de dicas de como atormentar um spammer.

Se o spammer tiver domínio registrado .br, você pode entrar em http://registro.br e dar uma busca pelo nome do domínio. Essa busca é linda e vai retornar não só o nome, como e-mail pessoal, telefone, endereço e servidor em que o spammer FDP hospedou seu site. Com esses dados já dá pra atormentar um bocado. Além disso, entrar no site do sujeito e buscar telefones celulares, icq e e-mails de contato também pode render bons frutos. Agora, o que fazer:

– entre no site do host do spammer e denuncie. Geralmente o abuse team responde por abuse@nomedohost. Mas não custa nada mandar uma cópia pro suporte também – esse email com certeza estará disponível na página.

– cadastre o e-mail pessoal do sujeito em todas as newsletters opt-in que puder. De preferencia newsletters que irão vender o e-mail do cara para outras. Pra ele receber spam e ver como é legal.

– com o telefone fixo ou celular é sempre possível passar trotes a cobrar (de orelhao, por favor). Ou colocar anúncios ridículos em forums de sexo e afins (coisas como “procuro macho bem dotado” e “virgem quer dar” devem funcionar). Os frequentadores irão se encarregar de tornar a vida do sujeito um inferno. Sim, se for homem (até hoje nao recebi spam de mulher) vale a pena postar um anúncio gay, assim você provoca tanto os gays interessados como os homofóbicos de plantão. Com o telefone celular, dependendo da operadora (a telefonica não deixa, idiotas!), você pode mandar mensagens anônimas pro celular dele.

– com o ICQ dá pra fazer um terrorismo virtual: entre no site do icq, e lá haverá uma opção para mandar mensagem para um ICQ via web, SEM PRECISAR TER UIN REGISTRADO. Não tenho como pegar o link agora, pois estou no trabalho, mas não é difícil de achar. Mas aí entupa o ICQ dele de mensagens terroristas anônimas. “Eu sei quem você é, sei onde você mora, sei o seu telefone e vou te encher de porrada, seu spammer cretino”. Coisas delicadas assim. Ah, o amor.

– com o endereço pode dar mais trabalho, mas dá pra fazer coisas beeem legais. Terrorismo psicológico básico: mande cartas com endereço inexistente no remetente sem ameaças, só dizendo que sabe que o cara faz spam e que você sabe quem ele é. A carta social custa apenas um centavo e chega em até 24 horas.

– e o básico, copiar o source completo do spam enviado e denunciar pro SpamCop.

Lembre-se: além de ser um excelente passatempo, perfeito para tardes ociosas, atormentar um spammer é um ato de cidadania.

(postado originalmente pela Renata em 21 de outubro de 2002)

(PostRating: 0 hits today, 0 yesterday, 3 total, 1 max)