Chifres do Rei de Itália

Pequenos causos sobre corruptelas em nomes de doenças.

Comum em áreas rurais, entre populações menos instruídas, até nos Estados Unidos foram registradas curiosas deturpações fonéticas para o nome de algumas doenças:

“Smiling mighty Jesus” (poderoso e sorridente Jesus) era como às vezes se chamava a meningite espinhal (spinal meningitis);

“High pretension” (alta pretensão) era na verdade hipertensão (hypertension);

“Sick-as-hell anemia” (anemia doente-prá-diabo) designava anemia falciforme (sickle cell anemia);

“Sea roses of the liver” (rosas do mar do fígado) era cirrose hepática (cirrosis of the liver);

“Mental pause” (pausa mental) era na verdade menopausa (menopause);

“Cyclopath” (caminho cíclico) era um psicopata (psychopath);

“Fireballs of the eucharist” (bolas de fogo do eucarístico) era fibrose no útero (fibroids of the uterus).

Na mesma linha, há também o caso da jovem mãe que batizou seu filho inspirada num cartaz que viu na sala de parto. O nome do menino ficou sendo “Nosmo King”. O cartaz proibia fumar.

Na literatura médica brasileira, o famoso e já falecido oftalmologista Dr. Paiva Gonçalves (o avô) relatou o caso de uma senhora do interior que chegou ao seu consultório dizendo que tinha “chifres do Rei de Itália”. Depois de alguns exames, esclareceu-se o mistério. Ela sofria de sífilis hereditária:”(Sífilis não é e nunca foi uma doença hereditária. Deve ter sido um caso de transmissão congênita da doença, da mãe para a filha, durante a gravidez, daí a confusão entre congênita e hereditária.)”: .

(postado originalmente em 19 de setembro de 2003)

(PostRating: 0 hits today, 0 yesterday, 22 total, 2 max)