Para não esquecer: o índio pataxó

Continua a bagunça na internet…

Voltei (ou melhor, voltamos) a receber um e-mail dizendo que um tal Bruno Minervino é um dos assassinos do índio pataxó. E com requinte de crueldade: agora vem um arquivo, um do PowerPoint, com letras vermelhas enormes naquela fonte horrorosa, a Comic Sans.

Vou repetir mais ou menos o que escrevi aqui… ao receberem tal e-mail, lembrem-se do seguinte:

Os assassinos do índio pataxó chamam-se:

  • Eron Chaves de Oliveira
  • Antonio Novely Cardoso de Vilanova
  • Max Rogério Alves
  • Tomás Oliveira de Almeida

Antonio é filho do juiz federal Novély Vilanova e Max é enteado do ex-ministro Walter Medeiros, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Agora alguns links:

Lenda? Assassino do índio Pataxó é nomeado com louvor

Minervino me enerva: deste último vem a frase:

“É tanta besteira junta que elas já começam a colidir e se misturar na Internet: a mãe de um índio queimado vivo em 1997 por parentes ricos e desocupados de juízes federais vira homem, na pele de um juiz que beneficia irregularmente seu filho com um alto cargo público em 2001.”

(postado originalmente em 19 de fevereiro de 2004)

(PostRating: 1 hits today, 0 yesterday, 29 total, 3 max)