Salário mínimo

No início do governo Geisel (1974), houve uma certa hesitação sobre qual seria o novo valor do salário mínimo. Até que depois de várias discussões o Mario Henrique Simonsen finalmente definiu: Cr$ 76,80.

Muito se discutiu sobre por quê daquele valor meio exótico, qual seria a base para sua definição. E eis que alguns dias depois “O PASQUIM” aparece com uma de suas capas que se tornaram históricas: um sujeito fantasiado de Mario Henrique Simonsen numa sala de aula, escrevendo no quadro-negro…

“1 cafezinho… 1 pãozinho…” e a manchete “Pasquim explica o cálculo do salário mínimo”.

Lá dentro, vinha a conta:

1 cafezinho…… Cr$ 0,12
1 pãozinho……. Cr$ 0,04

4 cafezinhos e 4 pãezinhos por dia são suficientes para alimentar muito bem uma pessoa. Então, uma pessoa precisa por dia de Cr$ 0,64.

Uma família média tem 4 pessoas, logo uma família média precisa por dia de Cr$ 2,56.

O mês tem 30 dias, portanto chegamos ao valor de Cr$76,80.

Fui fazer a mesma conta para o novo salário mínimo. Bom, o cafezinho custa R$ 0,70 (pelo menos, no Café Capital aqui perto) e o pãozinho francês deve estar a R$ 0,20. Portanto, uma pessoa precisa de R$ 3,60 por dia para se alimentar, e 4 pessoas precisam de R$ 14,40.

Ou seja, o salário mínimo, pelos “critérios” do PASQUIM deveria ser hoje de R$ 432,00…

Alguns colegas argumentaram que num boteco mais simples dá para encontrar cafezinho a R$ 0,50. Por esse cálculo, uma pessoa precisaria de R$ 2,80 por dia, 4 pessoas de R$ 11,20, e o salário mínimo deveria ser de R$ 336,00 pelo critério dos 4 cafezinhos e 4 pãezinhos do Pasquim de 30 anos atrás…

É mole pessoal?

(postado originalmente em 09 de junho de 2004)

(PostRating: 0 hits today, 0 yesterday, 5 total, 1 max)