Visto para os EUA: é difícil, mas só para alguns

Nesta semana eu postei no Amigos Blogueiros sobre o WordCamp Dallas e, no final do post, refleti sobre a possibilidade de um dia um blogueiro brasileiro participar de um desses encontros focados em WordPress nos Estados Unidos. E não vou esconder mais, eu gostaria de ser esse brasileiro.

Hoje caiu uma tempestade de água gelada ao ler um post do Alexandre de Sousa. Segundo ele, um blogueiro brasileiro teve negado seu visto de entrada nos EUA. Duas vezes.

O blogueiro em questão é Thyago Ferreira, tenente da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, lotado no Batalhão do Leblon. Ele pretendia passar as férias, agora em março, na cidade de New York. Ficaria em casa de uma amiga, em vez de hotel. Fez tudo direitinho, juntou dinheiro, comprou passagem, foi ao consulado dos Estados Unidos com a documentação necessária e fez a entrevista. O resultado: o visto foi negado. O Tenente Ferreira enviou dezenas de e-mails ao consulado pedindo uma explicação. Depois de muita insistência, conseguiu uma resposta, que era apenas uma ratificação da negativa do visto. O motivo: falta de vínculo com o Brasil.

Depois de algumas informações, Ferreira conseguiu marcar uma nova entrevista, na esperança de finalmente ter seu visto concedido. Foi para a entrevista fardado e com vasta documentação comprovando seu vínculo com a Pátria: diploma do Curso de Oficiais, carta de recomendação de seu superior escrita em INGLÊS, declaração da faculdade, contra-cheque, extrato bancário comprovando a economia de dinheiro para a viagem, entre outras coisas. Porém a nobre oficial consular resumiu a entrevista a uma pergunta: o que mudou em três semanas, desde a última entrevista, que o fez ter vínculo com a Pátria? E negou novamente o visto, alegando que o nosso Tenente/blogueiro não deveria nem fazer outra entrevista menos de um mês depois de ter o visto negado.

O que revoltou o Tenente Thyago Ferreira, revoltou o Alexandre, revoltou a comunidade policial e revoltou também a mim, é a questão da “falta de vínculo”. Para quem não sabe, um policial militar não pode ausentar-se do país, mesmo de férias, sem autorização por escrito do Secretário de Segurança Pública. Caso contrário, incorreria em crime de DESERÇÃO segundo o Código Penal Militar, com pena agravada no caso de um Oficial, como é o Tenente Ferreira. Se isso não é vínculo forte com a Pátria, eu não sei o que é.

O policial apenas gostaria de conhecer um outro país, uma outra cultura, o que eu acho louvável. Acredito que ele se comportaria lá de forma ordeira. Não sei se posso dizer o mesmo do Repórter Vesgo, que junto com o Silvio Santos teve seu visto para os EUA concedido. Entre outras coisas, ele apareceu no Pânico tentando entregar um presente para a Britney Spears:

Vesgo

Olha só: trata-se de um cidadão estrangeiro, de peruca rosa, que se comunica com o Silvio e a sua equipe de TV em língua não-inglesa, e tenta se aproximar da Britney com um pacote suspeito na mão. Para isso é fácil conseguir visto, né?

(PostRating: 0 hits today, 0 yesterday, 2 total, 1 max)