Os nove erros mais comuns dos investidores

O portal AE Investimentos consultou vários analistas de mercado para descobrir quais são os erros mais comuns dos investidores na hora de aplicar. Conheça cada um deles e previna-se!

1) Reagir a boatos ou dicas de ações sem pensar

Evite comprar ou vender ações baseado apenas em boatos ou dicas de amigos. Na dúvida, faça pesquisa. Fale, por exemplo, com seu corretor ou, se precisar checar alguma informação sobre a empresa, ligue ou mande email para o gerente de Relações com Investidores da empresa e peça esclarecimento. O sócio consultor da Integral-Trust, Roberto Luis Troster, recomenda ao investidor nunca agir por impulso na dúvida ou em momento de tensão no mercado. “É importante pensar bem antes de tomar uma decisão”.

2) Investir sem conhecer o produto

Alguns investidores escolhem uma aplicação financeira sem conhecer suas principais características, como rendimento, risco e taxas cobradas. Para evitar isso, o economista-chefe da Uptrend Consultoria Econômica, Jason Vieira, alerta que o investidor deve ler o prospecto dos fundos com atenção e fazer perguntas ao gestor antes de aplicar. “Só assim ele evita comprar um fundo agressivo achando que está aplicando o dinheiro em um fundo conservador”, diz. O mesmo vale para ações. Antes de investir, informe-se quais os riscos e quais são as ações mais recomendadas.

3) Esquecer de fazer uma análise de risco e retorno

As aplicações com maior rendimento são também as mais arriscadas. Na hora de investir, porém, nem todo investidor lembra dessa regra. Na tentativa de ampliar o rendimento, muitos investem em ativos sem conhecer com profundidade quais são os riscos. Alguns fundos, por exemplo, operam acima da sua capacidade de patrimônio e, em caso de uma operação mal sucedida, o investidor pode ser chamado para aplicar mais recursos. Os analistas recomendam a mesma cautela na hora de investir em ações, principalmente em IPOs1. “De todos os produtos de investimento, a Bolsa é o de maior risco”, alerta Vieira. Por isso, a atenção deve ser dobrada.

4) Não fazer um plano de investimento

Muitos investidores apostam em alguma aplicação sem definir o prazo que deseja esperar pelo retorno; quanto busca de rendimento; e o quanto quer arriscar. O economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, pondera que o prazo para o retorno vai ditar o perfil do investimento. “Por exemplo, se o investidor quer ter em três meses 10% de ganho, deve estar ciente de que a carteira deverá ser mais arriscada”, destaca. Não deixe, portanto, de adequar seus investimentos ao seu perfil de risco. Faça uma avaliação e veja, por exemplo, até quanto você tolera perder do valor principal investido.

5) Arriscar mais do que poderia perder

Um dos piores erros é o investidor traçar um plano de investimento e mudar a estratégia antes de terminar o prazo estabelecido. Os analistas aconselham checar a estratégia de investimento periodicamente. O que não pode ocorrer é o investidor fazer essa mudança baseado em questões subjetivas, como boatos. Se surgir uma nova oportunidade de investimento, avalie antes se está dentro do seu plano inicial.

6) Concentrar demais o investimento

Se o investidor aplicar em uma única aplicação, corre o risco de perder os recursos de uma única vez, caso o investimento não apresente um bom desempenho. Por isso a recomendação dos analistas é diversificar. Ao fazer isso, é possível se proteger ou ousar ainda mais. Por exemplo: se você aplicou em renda variável, deve colocar uma parte dos recursos em renda fixa. O aposto também vale. “Evite investimentos muito pesados em ações que não conhece”, completa Vieira, da Uptrend.

7) Não acompanhar a carteira

Ao aplicar em fundos de investimento, informe-se com o gestor qual é a composição da carteira do fundo. Faça isso periodicamente e revise suas aplicações. Muitas vezes o investidor aplica em três ou quatro fundos buscando diversificar a carteira, mas não verifica a estratégia dos fundos, que podem ser semelhantes. “Quando o investidor analisa todos seus investimentos, pode perceber que tem vários fundos concentrados nos mesmos papéis ou que seguem a mesma estratégia”, explica o diretor de produtos do HSBC, Eduardo Favrin. Veja, por exemplo, se vale a pena pagar mais de uma taxa de administração para manter fundos semelhantes ou aplicar em um só e obter um custo menor.

8 – Aplicar no banco no qual tem conta sem comparar com a concorrência

Muitos investidores ficam acomodados na instituição na qual têm conta e não fazem pesquisa na hora de decidir onde aplicar o dinheiro. Por isso, antes de aceitar a sugestão do seu gerente, pesquise quais são os produtos e as taxas do mercado em várias instituições. Veja ainda qual a credibilidade da instituição financeira e se ela está credenciada em órgãos como Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Bovespa e Banco Central.

9) Achar que pode fazer fortuna no mercado financeiro

Alguns investidores – principalmente os novatos – acreditam que podem ficar milionários com investimento em ações. É importante saber que esse tipo de investimento embute altos riscos e que é preciso cautela ao investir. Segundo os especialistas, o excesso de confiança na Bolsa pode prejudicar uma análise mais racional do mercado.

Nota: o post da carteira nababu.org de setembro foi adiado para novembro, será publicado junto com o de outubro.

(PostRating: 0 hits today, 0 yesterday, 3 total, 1 max)
  1. Oferta inicial de ações []